“A Casa Sustentável” – Cap. 1

INICIANDO

O que é Green Living (“Vida ou Viver Verde” ou “Sustentabilidade”) – Uma casa sustentável é principalmente uma casa energeticamente eficiente. É bem ventilada e iluminada naturalmente. Evita o desperdício de água. Utiliza painéis solares. Utiliza equipamentos com controle de vazão de água.

Universal Design (“Desenho Universal”) – É uma casa acessível a todos: altos e baixos, jovens e velhos, fisicamente hábeis ou não. Construção para uma vida longa. Os armários estão localizados à uma altura acessível e que dispense o uso constante de escadas. As torneiras possuem mecanismos de acionamento automático (“hands-free”) ou fáceis de abrir (“easy-to-grip”). Usa-se alavanca ao invés de maçaneta em portas. Proporciona luz plena em áreas de estudo e trabalho. As portas são largas para permitir o acesso de cadeira de roda e há espaço para circulação.

Smaller is Better (“Menor é Melhor”) – Viva dentro de seus recursos. Viva numa casa sob medida para você pagar pelo aquecimento e resfriamento. Considere mudar-se para um lugar menor para gastar menos eletricidade, gás, água em longo prazo. Crie espaços multi-uso e menos salas para um único uso. Utilize os “Murphy Beds” ou camas dobráveis, por exemplo.

O QUE TORNA UM PRODUTO VERDE?

“Recursos Renováveis Rapidamente” – Produtos que regeneram rapidamente na natureza. Os bambus crescem em 5 ou 7 anos, não precisam de pesticida e consomem pouca água no seu crescimento. Produtos biodegradáveis. Produtos de origem agrícola (que utilizam apenas a energia solar para seu crescimento). Exemplos: Cortiça, Placas de fibra de trigo (Wheatboard, news about), algodão orgânico, lã.

“Materiais Reciclados e Recuperados” – Estão sendo utilizados na produção de tapetes, bancadas, luminárias, entre muitos outros objetos. Quando se usa algo que poderia jogar num aterro, reaproveitar algo existente, comprar móveis num garage-sale, usar um produto descartado para um novo fim, são atitudes até mais ecológicas do que simplesmente reciclar um lixo, pois já está disponível.

“Produtos com baixo ou sem VOC” – VOC significa Compostos Orgânicos Voláteis (COV), são toxinas liberadas altamente alergênicas. São exemplos de materiais que liberam VOC (devem ser evitados ou usados com moderação): móveis feitos de madeira compensada ou de madeira feita à base de partículas (tais como os painéis de MDF), cortinas para banheiro em vinil, colchões e estofados tratados com produtos retardadores de fogo e manchas, e os carpetes.

“Produtos Produzidos Localmente” – Evita-se viajar longe para chegar a você, provocando menos emissão de gás carbônico no caminho. Exemplo: utilizar um mármore importado da China, que viaja por caminhão, navio e trem, gastando muito mais combustível do que uma cerâmica produzida na sua região.

“Durabilidade” – Não é um fator muito citado, mas baseia-se no fato de comprar produtos feitos com qualidade, que durarão mais e levará muito mais tempo para descartá-lo. Produtos de baixa manutenção, que não precisarão ser pintados ou não se sujarão facilmente, tem menos impacto ambiental.

“Produtos Economizadores de Energia” – Produtos que economizam energia são verdes mesmo se forem feitos de um material não tão verde, como exemplo, janelas feitas de PVC Vinil que isolam o ambiente interno do calor externo.

“Certificações Ambientais” – As certificações garantem que o material adquirido chegou até você de uma maneira responsável. Os selos de qualidade que garantem que testes regulamentados foram aplicados antes da venda do produto, são adicionais.”Equilibrando as Questões” – Ao adquirir um produto, ou optar por alguma solução, pergunte-se:

  • De onde veio o produto?
  • Quantos Kilômetros ele viajou até chegar a você?
  • Que meio de transporte foi usado?
  • De que material é feito?
  • Há algum material reciclado incoporado?
  • Foi necessário muita energia para produzí-lo?
  • Há algum material químico tóxico que irá poluir sua casa?
  • Foi produzido de tal forma a não prejudicar o meio ambiente ou a saúde dos funcionários?
  • Quanto tempo o produto irá durar e quando não for mais utilizado, ele será biodegradável?

QUALIDADE DO AR INTERIOR

Dado ao rápido crescimento de taxas de pessoas com asma, alergia, desordem de aprendizagem, desordem de deficit de atenção, os cientistas estão de olho em nossas casas em busca de respostas. Devido aos materiais sintéticos, o ar interno de uma casa é aproximadamente 2 a 5 vezes mais tóxico que o externo. E pode piorar muito após a aplicação de algum produto que libere toxinas. Aquele conhecido cheiro de carro novo, o ar de uma residência nova, produtos de limpeza, pintura à base de óleo (solvente), são liberadores de VOC (outras fontes: Folha, Ambiente Brasil, Wikipedia).

“Removendo a Origem” – Remover produtos que liberam tais gases (embalagens de tintas, colas, acabamentos, materiais de limpeza, carpetes, moveis estofados convencionais, colchões feitos com espuma a base de petroquimicos e tratamento anti-chama, piso amadeirado. A total remoção destes elementos é necessária quando há pessoas sensíveis a estes componentes. Comece com mudanças acessíveis, que todos irão se beneficiar. Guarde tintas e colas fora de casa, mesmo que estejam bem tampadas. E se não for mais utilizá-las, descarte-as de forma responsável.

“Mantenha as Toxinas Fora” – Durante uma reforma, seja cuidadoso em manter as toxinas separadas. Feche as aberturas para que o ar não migre de um ambiente a outro. O construtor deve estar empenhado em construir pensando no bem estar de seus funcionários, bem como na do futuro usuário, estocando material em local separado e organizadamente.

“Ventilação é Solução” – Use a combinação de ventilação natural e mecânica para garantir que o ar velho não fique estagnado em sua casa. Invista num filtro de ar em toda a casa para a retenção de partículas e poeiras e, além disso, em algumas áreas onde há umidade, evita problemas como ácaros e mofo.

“Limpeza” – Uma das maneiras mais simples de começar a viver verde é banir produtos de limpeza poluidoras. Limpadores antibacterianos podem promover a resistência das bactérias e os alvejantes podem prejudicar os sistemas reprodutivos e neurológicos. Evite produtos com fragâncias e à base de cloro. Procure nos rótulos os termos “orgânicos”, “a base de vegetais” e não somente “natural”.

“Evite a Naftalina” – Seu ingrediente ativo é um pesticida considerada carcinogênica, ligada à catarata e outros danos estomacais e neurológicos. Use produtos naturais como: cravo da índia, lavanda, alecrim, eucalipto, canela em pau, folhas de louro.

SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO DO VERDE

Há vários sistemas de classificação do verde, ou de sustentabilidade, avaliadas por organizações. Se você está construindo uma casa nova, lute para torná-la “eco-friendly” (amiga do verde). Considere construí-la de acordo com as premissas dessas organizações e peça uma avaliação ao terminá-la. Pode ser que haja descontos em taxas (nos EUA). O mesmo vale para uma reforma. No Brasil, o LEED é a certificação sustentável mais conhecida e recorrida no Brasil (Wikipedia).

  

*** Meu resumo livre  ***